Um desafio de marcenaria em forma de mesa

Atualizado: 21 de set.



Para nós todos os projetos são únicos e especiais. Mas aqueles que nos trazem o fator desafio para as nossas bancadas de trabalho, deixam-nos ainda mais entusiasmados.

Hoje trazemos a história de uma mesa cujo desenho, quando nos chegou, nos apaixonou logo e mesmo ainda antes da fase de projeto, nos pôs a pensar em hipóteses, ideias e possíveis soluções. A premissa: uma mesa em carvalho, maciça, oval e extensível que quando aberta chegasse aos 3 metros, com uma capacidade de sentar até 14 pessoas. Uma peça com pés curvos, revestidos a meia-cana de madeira maciça de carvalho e com um acabamento o mais natural possível. Uma peça que, além de funcional, passasse a ser um dos elementos estéticos de destaque da sala, uma peça escultórica, enquadrada no ambiente natural da decoração e cuja volumetria harmonizasse toda a atmosfera do espaço.




E como aqui, na Marcenaria Artística Pereira, adoramos desafios, e sobretudo quando vão pôr à prova as técnicas, as ideias e o próprio material, aceitámos este desafio com todo o entusiasmo e vontade que nos são características.

Desde o primeiro momento de conceção técnica do projeto, a nossa preocupação foi criar uma peça que, além de bela, fosse resistente, durável e estável. Utilizando técnicas de marcenaria que têm em conta a tecnologia da madeira, consegue-se prevenir o dano na retração e expansão que são naturais à matéria prima. Desenhámos ainda uma extensão que pudesse ficar guardada dentro da própria mesa, fechando em livro. E outro dos pontos que considerámos foi o de, numa extensão de 3 metros, escolher o veio da madeira de forma a ficar o mais corrido e uniforme possível. Os desafios?A dimensão da peça, considerável. A união de madeiras para uma leitura harmoniosa e esteticamente apelativa, a mecânica da extensão, a própria estabilidade da peça, pelo desenho dos pés, moldados em curvas de vários barrotes em madeira maciça, o trabalho minucioso de corte, lixagem e acabamento de 300 peças de meia cana que compõem os detalhes decorativos dos pés.

O tampo, é feito em contraplacado marítimo de bétula, todo forrado com uma faixa de madeira maciça de carvalho, colada por nós numa prensa de vácuo. O perfil do material, foi rematado com um encabeço em madeira maciça de carvalho com um acabamento a 45º e em curva. Um detalhe que aparentemente parece simples, mas que exigiu grande precisão no corte e acabamento da peça.

O mecanismo de extensão foi totalmente feito em madeira maciça de carvalho, incluindo o sistema de correr, com encaixe de madeira.

O acabamento escolhido foi o nosso óleo natural para madeira Fiddes, no tom White, uma cor que realça os veios naturais do carvalho e previne o amarelecimento. Este acabamento natural é resistente e ecológico, sendo lavável e uma excelente opção para mesas de jantar.

Um projeto cuja conceção e execução de várias horas de trabalho resultou numa peça única, maciça. Uma mesa para durar uma vida, várias vidas.